MENSAGEM AOS PAIS…

Não faz muito tempo, todos estávamos estarrecidos com o abominável “Baleia Azul”, que tantos casos de morte e mutilação provocou em crianças e jovens que, fora da vista dos pais, utilizavam-se de celulares e tablets, sem qualquer tipo de vigilância ou restrição por parte destes, para participarem desse demoníaco jogo.
Hoje, aparentemente passado o auge da crise de exposição que viveram nossos jovens a esse instrumento de indução ao auto-sofrimento e até mesmo suicidio, frequentemente somos surpreendidos com noticias a respeito de toda sorte de perversão, praticada através da internet. O DP, em sua edição de 23/02, traz matéria com o seguinte título “RECIFENSE ALICIOU 123 MENORES PELA INTERNET”.
Por isso, mais uma vez me assusto com informação recebida de uma amiga que, ao entrar sem avisar, no quarto da filha de pouco mais de 8 anos, e perceber que a criança tentava esconder o celular, foi surpreendida por mais um desses jogos produzidos por mentes doentias, chamado “SimSimi” em que, alguém que se apresenta como amigo, exige que a criança cumpra determinações, certamente prejudiciais a criança, e com ameaças faz com que acredite que, se abandonar o jogo, ela e toda a sua família serão atacados e sofrerão uma série de torturas e perseguições. É a mesma coisa da “Baleia Azul”, sob outro nome.
Como se não bastassem todas essas demonstrações, para risco que traz do uso livre e indiscriminado do celular por nossas crianças e jovens, do ponto de vista das praticas apontadas, a Folha de São Paulo, tambem em 23/04, traz colocações feitas pelo professor finlandês Pasi Sahlberg sob as razões da queda de posição do seu país nas avaliações do PISA (Programa Internacional de Avaliação de Alunos), do topo das colocações em 2001 para, uma queda significativa de posição, na mesma avaliação feita este ano.
Sob o título “USO INTENSO DO CELULAR PREJUDICA OS JOVENS…”, o professor Salhberg em entrevista a Folha alerta: “o uso pesado de smartphones, redes sociais e outras tecnologias, tem retirado o tempo de leitura dos jovens, de lição de casa, e afeta habilidades como concentração e persistência para aprender”.
E, destaca: “Temo que seguiremos vendo mais desafios para aprendizado da leitura, matemática e ciências, a não ser que pais e escolas juntos, consigam encontrar formas de colocar limites aos estudantes, em termos de tempo gasto em redes sociais e tecnologia, assim como os próprios pais usam seus os aparelhos em casa.”
Lamento dizer, e me desculpem aqueles em quem caiba a “carapuça”, mas não consigo aceitar a atitude de muitos pais que, em restaurantes, reuniões ou até mesmo em casa, para que os filhos não os perturbem ou atrapalhem, “livram-se” deles, entregando-lhes tablets e celulares para que se “distraiam” e “brinquem”, como se isto substituísse a sua atenção e carinho.
Pais, o que afinal, seus filhos representam para suas vidas e o que desejam para eles?
Reflitam sobre isso e as protejam mais, ou o futuro cobrará por sua indiferença e irresponsabilidade em dar-lhes aquilo que é, nada mais que sua obrigação…

Jaime Xavier é Mestre em Administração de Negócios pela COPPE – RJ
Socio-Diretor da XConsult – Consultoria Empresarial
Sócio-Diretor Comercial da Sabor Saudável Produtos Alimenticios
www.jai[email protected]